1º de Maio: ocupar as ruas para dar um grande basta em Dilma, Temer, Cunha e os corruptos do Congresso Nacional!

 

O Brasil está em crise. A situação econômica do país é reflexo da crise mundial, a crise chinesa e a queda do preço das matérias primas. O papel do Brasil, na divisão mundial do trabalho, de fornecedor de produtos primários tornou nossa economia ainda mais vulnerável. Junto a isso, a política do imperialismo, especialmente dos EUA, é de que paguemos nós os custos dessa crise, para que eles não se afundem ainda mais e saiam da sua própria crise às custas da nossa exploração e opressão.

Desemprego; redução e atraso no pagamento dos salários; inflação; saúde precária; “tarifaço” na energia elétrica e no transporte público. Isso tudo é parte do grande golpe contra os trabalhadores e a juventude que o Governo Dilma tem cometido, o Ajuste Fiscal. Só da educação pública foram retirados mais de 14 bilhões entre o ano passado e os primeiros meses deste. Esse ajuste é o que explica a situação das universidades e escolas públicas com cada vez mais cortes/atrasos de bolsas, demissões de trabalhadores além de projetos como de Geraldo Alckmin em São Paulo – fechamento de escolas/salas de aula; Marconi Perillo em Goiás – militarização e entrega das escolas para OSs; Pezão no Rio de Janeiro – ataque aos salários dos professores e sucateamento das escolas.

Em resposta a isso, trabalhadores e jovens têm resistido com bravura, seguindo os ventos que sopram da juventude e dos trabalhadores franceses que têm saído aos milhões para as ruas. Greves e lutas em todo o país, o exemplo da ocupação da MABE em Campinas – SP e, especialmente, a greve dos professores do Rio e as ocupações de escolas no estado, que já somam mais de 70, mostram que o caminho é a luta. Ao mesmo tempo, a crise política e a briga entre os dois blocos burgueses pelo poder chegaram a um novo patamar depois da aprovação do impeachment na Câmara dos Deputados no último domingo.

 

O Congresso Nacional não nos representa! O Impeachment é farsa, não solução!

 Não é à toa que o povo trabalhador e a juventude assistiram a todas as falas e declarações de voto na sessão que aprovou a abertura do processo de impeachment com um grande sentimento de nojo. Hipocrisia e deboche marcaram as declarações dos parlamentares, em que dentre o total de 513 deputados, segundo a Transparência Brasil, 303 são investigados por algum crime. No Senado, o número também ultrapassa os 50%: 49 dos 81 senadores estão envolvidos em investigações. E para piorar, a sessão foi presidida pelo Eduardo Cunha, canalha presidente da corte dos corruptos, um verdadeiro gângster que deveria estar atrás das grades. Em formato de um grande circo de horrores, as faces corrupta, conservadora e reacionária do Congresso se escancararam, mostrando a falência desse regime falsamente democrático, que em verdade serve para atacar os direitos dos trabalhadores.

O impeachment da presidenta Dilma é uma grande farsa e não resolve nada. Em nossa opinião é trocar 6 por meia-dúzia o que não atende em nada os anseios dos trabalhadores e da juventude das periferias e escolas, das mulheres, das LGBTs e do povo negro. Não aceitaremos um futuro governo Temer, que não tem legitimidade alguma para ser presidente do Brasil. A direita reacionária julgou o governo pelas conquistas que foram possíveis nos últimos anos, como as cotas sociais/raciais nas universidades ou os ataques fantasiados de concessões, como a Bolsa Família e os programas educacionais ao mesmo tempo em que destilava todo seu ódio contra a esquerda e aquilo que há muito o PT deixou de representar.

Infelizmente, os discursos inflamados de lideranças do governo contra o “golpe” em curso e em defesa da democracia também não conseguiram ir muito para além disso. Com teto de vidro, em especial o PT e o PCdoB, mesmo sendo derrubados do governo, não são capazes de romper com a aliança que os levou ao Planalto. Boa parte dos seus algozes há até pouco tempo (alguns há minutos antes da votação) eram base de apoio desse governo. Gilberto kassab, Marco Feliciano, o próprio Cunha e muitos outros fizeram parte do arco de alianças dos governos do PT durante 13 anos. Não esqueçamos que hoje só existe a possibilidade de Michel Temer ser presidente do Brasil, pois é vice de Dilma. Portanto, o fortalecimento da direita é responsabilidade do próprio PT. Além de se aliar com esses setores, o PT governou para eles e os ricos e poderosos que representam e exemplos disso não faltam como a aprovação da lei anti-terrorismo, o veto ao Kit anti-homofobia nas escolas, os cortes orçamentários, o código florestal e etc.

 

Tomar a Av. Paulista contra Dilma e a oposição de direita e construir uma alternativa para a juventude ao lado dos trabalhadores e do povo pobre!

                O Espaço Unidade de Ação, da qual a ANEL faz parte junto com a CSP – CONLUTAS e diversas outras entidades está convocando um grande ato nacional para o próximo dia 1º de maio em SP. Esse ato marca a continuidade das ações de rua que buscam impulsionar um campo alternativo, uma 3º saída. Vamos nos espelhar no grande ato do dia 18 de Setembro do ano passado e nas lutas que ocorrem em outros países do mundo para colocar o nosso bloco na rua unificando todas as lutas em curso.

                A ANEL chama todos os coletivos e entidades estudantis (DCEs, Grêmios, CAs/DAs) para organizarem caravanas à SP. Estaremos organizando ônibus nos 4 cantos do país, é só chegar! Além disso, fazemos também um chamado aos coletivos de juventude, em especial os que compõem a Oposição de Esquerda da UNE, Juntos, RUA e UJR; nossos grandes parceiros na luta cotidiana, mas que infelizmente participam da Frente Povo Sem Medo criada, em última instância, para defender o governo onde participam a CUT, UJS, MST. Essa mesma frente, junto com a Frente Brasil Popular está convocando uma manifestação também para o dia 1º de maio, mas para defender o Governo Dilma. Chamamos a que rompam com essa frente e o ato em defesa do governo e venham, junto com a CSP – CONLUTAS e o Espaço Unidade de Ação construir um 3º campo, começando pelo ato no dia 1º de maio.

                As lutas da juventude mostram, todos os dias, que as velhas e burocratizadas entidades e organizações não servem para nossos sonhos. Já passou da hora de a UNE e a UBES romperem com esse governo, só assim poderiam caminhar em direção à juventude brasileira que, muito diferente dessas, não deixou de acreditar em seus sonhos e ter coragem de lutar.

 

Organizar os de baixo para derrubar os de cima! O Brasil precisa de uma Greve Geral!

                Nós da ANEL acreditamos que é preciso construir uma saída alternativa para os trabalhadores e a juventude diante da crise política econômica. Isso porque se Dilma fica (o que é muito improvável) já disse que fará de tudo para repactuar com os ricos empresários e banqueiros, ou seja, irá atacar ainda mais os nossos direitos para barganhar apoio com o que há de mais nojento na nossa política. Ao mesmo tempo, se sair corremos o risco de ter o país governado por aquilo que há de mais pobre no país. Não queremos nenhum deles!

Pra começar, queremos dizer com todas as letras que não aceitaremos um governo Temer e que iremos às ruas para impedir sua possível posse, assim como qualquer alternativa apresentada pela direita tradicional do país. Ao mesmo tempo, também queremos o fim do governo Dilma. Mas para nós, Dilma tem que sair pelos verdadeiros crimes que cometeu como as privatizações e entrega do nosso petróleo, os cortes de direitos, o consentimento com as demissões e reduções salariais e um longo etc. E, além disso, só quem tem o direito de julgar Dilma são os trabalhadores e a juventude, por meio de suas próprias lutas que sejam independentes dos dois blocos dos ricos e poderosos que estão brigando pelo poder. O governo deve cair sim, pelas nossas mãos.

Para construir, nas ruas, uma alternativa dos de baixo é preciso convocar uma grande greve geral que unifique as lutas dos trabalhadores e estudantes. Para isso, defendemos o chamado de uma  grande greve geral  dos estudantes junto com os trabalhadores para impedir as saídas para crise política e econômica que vem sendo construídas por aqueles que moram no andar, só assim apresentaremos um alternativa dos de baixo, em defesa dos nossos direitos e do tamanho de nossos sonhos.

 

Vem aí... 2º Encontro Nacional da Educação e a 11º Assembleia Nacional da ANEL entre os dias 16 e 18 de Junho e no dia 19 em Brasília.  

                Para seguir organizando lutadoras e lutadores em todo o país, nós da ANEL chamamos também todas as entidades estudantis, ativistas das escolas, universidades e institutos para, junto com o professores, técnico-administrativos, movimentos populares construirmos um grande 2º Encontro Nacional da Educação, o ENE 2016. Por todo o país estão sendo realizadas as etapas estaduais/municipais e o Encontro ocorrerá nos dias 16, 17 e 18 de Junho, em Brasília.

                No dia 18, pela manhã, nós da ANEL chamamos todos os estudantes, a começar pelos coletivos e movimentos de juventude como os Outros Outubros, o Coletivo Construção, o Alicerce, a UJC, além dos que compõem a Oposição de Esquerda da UNE, o Juntos, RUA, UJR, Vamos à Luta e todos os demais coletivos e entidades estudantis, como os grêmios, Executivas de Curso, CAs, Das e DCES para construirmos uma grande Plenária Nacional de Estudantes, durante a programação reservada no ENE para o encontro dos diversos setores presentes. Essa Plenária deve debater a situação do país, da educação e as condições de vida da juventude. Queremos sair desse espaço com um calendário de lutas que unifique o Movimento Estudantil de luta e que tenha coragem para, a partir da unidade, conquistas vitórias.

                E, por fim, realizaremos no dia 19, um dia após o encerramento do ENE, a 11º Assembleia Nacional da ANEL. Queremos reunir jovens negr@s, mulheres, LGBTs das periferias e dos centros; de escolas, universidades e institutos e aprovar resoluções que façam aplicar os encaminhamentos do ENE, da Plenária Nacional de Estudantes e organizar a juventude para sair às ruas em luta contra Dilma, Temer, Cunha, Aécio e todos eles que atacam a juventude e os trabalhadores. Vamos com tudo! 

 

Brasil afora

SP   Em breve notícias de SP...

RJ   Em breve notícias de RJ...

BA   Em breve notícias de BA...

MG   Em breve notícias de MG...

PA   Em breve notícias de PA...

RN   Em breve notícias de RN...

RS   Em breve notícias de RS...

SC   Em breve notícias de SC...

CE   Em breve notícias de CE...

PR   Em breve notícias de PR...

MS   Em breve notícias de MS...

SE   Em breve notícias de SE...

PI   Em breve notícias de PI...

PE   Em breve notícias de PE...

GO   Em breve notícias de GO...

DF   Em breve notícias de DF...

AL   Em breve notícias de AL...

AC   Em breve notícias de AC...

AM   Em breve notícias de AM...

ES   Em breve notícias de ES...

AP   Em breve notícias de AP...

TO   Em breve notícias de TO...

RR   Em breve notícias de RR...

PB   Em breve notícias de PB...

MT   Em breve notícias de MT...

RO   Em breve notícias de RO...

MA   Em breve notícias de MA...

Distrito Federal Minas Gerais Rio Grande do Sul Santa Catarina Paraná São Paulo Rio de Janeiro Espírito Santo Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Tocantins Bahia Amazonas Pará Amapá Acre Rondônia Roraima Maranhão Piauí Ceará Sergipe Alagoas Pernambuco Paraíba Rio Grande do Norte
 
 
00:00