CHEGA DE ATAQUES AOS DIREITOS DOS POVOS INDÍGENAS DO BRASIL!

A Assembleia Nacional de Estudantes – Livre vem a público repudiar os ataques e a postura inerte do Governo Dilma frente às constantes ofensivas, imposições e retiradas de direitos dos Povos Indígenas do Brasil. Assim como alguns tratados internacionais os quais o Brasil é signatário, como a Convenção 169 da Organização Internacional do Trabalho, a Constituição Federal do Brasil em seu capítulo VIII, artigos 231 e 232, garante aos índios direito e respeito à sua organização social, costumes, línguas, crenças e tradições e os direitos originários sobre as terras que tradicionalmente ocupam, competindo à União demarcá-las, proteger e fazer respeitar todos os seus bens.

No entanto, o que se vê é a paralisação total dos processos demarcatórios por parte do Governo Federal, ocasionando diversas disputas por terra e territórios entre índios e fazendeiros. Os senhores do agronegócio, concentradores de terra, renda e poder desencadeiam impiedosamente ataques rotineiros aos nativos em diversas partes do país. Na luta pela retomada de seus territórios tradicionais ocupados pelos latifundiários, constantemente indígenas são assassinados ao exemplo do líder Guarani Kaiowá Simeão Vilhalva, morto a tiros a mando de fazendeiros na retomada do Tekoha Nanderu Marangatu, em Mato Grosso do Sul.

A postura do Estado Brasileiro ultimamente no que tange a questão indígena têm sido de confrontar direitos garantidos constitucionalmente, como a PEC 215 que tramita no Congresso Federal, com intuito de passar aos ruralistas o poder sobre demarcação das Terras Indígenas, assim como a paralisação dos processos demarcatórios impetrado pelo Ministro da Justiça José Eduardo Cardoso.

Concomitante a isso o Governo Federal segue pousando de defensor dos nativos e se promove através de eventos como os Jogos Mundiais Indígenas e a Conferência Nacional de Política Indigenista, mas, ao mesmo tempo, toma medidas que diretamente ferem aos indígenas, como a desestruturação da FUNAI, a criminalização do movimento indígena, a repressão policial em retomadas, o apoio irrestrito ao Agronegócio e a nomeação de Kátia Abreu para o Ministério da Agricultura.

Posturas como essas refletem a conivência do Estado Brasileiro – através de suas instituições – que aliado à mídia burguesa que criminaliza o Movimento Indígena, só contribui com o contínuo processo genocida que se sucede há 515 anos no Brasil, exterminando culturas e valores tradicionais que sempre habitaram e resistem às ofensivas dos senhores do poder.

Haja vista essa negligência para com os nativos deste país, a ANEL repudia todo e qualquer ataque aos índios brasileiros, seja por parte do Estado, governos, mídia, agronegócio ou ruralistas e se posiciona solidariamente à luta dessas populações que representam 305 povos que se distribuem por todo país.

Não à PEC 215!

Fora Kátia Abreu!

Prisão para os assassinos dos povos nativos!

Homologação, já, dos territórios indígenas e quilombolas!

Não à privatização da natureza!

#SomosTodosGuaraniKaiowá

 

Brasil afora

SP   Em breve notícias de SP...

RJ   Em breve notícias de RJ...

BA   Em breve notícias de BA...

MG   Em breve notícias de MG...

PA   Em breve notícias de PA...

RN   Em breve notícias de RN...

RS   Em breve notícias de RS...

SC   Em breve notícias de SC...

CE   Em breve notícias de CE...

PR   Em breve notícias de PR...

MS   Em breve notícias de MS...

SE   Em breve notícias de SE...

PI   Em breve notícias de PI...

PE   Em breve notícias de PE...

GO   Em breve notícias de GO...

DF   Em breve notícias de DF...

AL   Em breve notícias de AL...

AC   Em breve notícias de AC...

AM   Em breve notícias de AM...

ES   Em breve notícias de ES...

AP   Em breve notícias de AP...

TO   Em breve notícias de TO...

RR   Em breve notícias de RR...

PB   Em breve notícias de PB...

MT   Em breve notícias de MT...

RO   Em breve notícias de RO...

MA   Em breve notícias de MA...

Distrito Federal Minas Gerais Rio Grande do Sul Santa Catarina Paraná São Paulo Rio de Janeiro Espírito Santo Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Tocantins Bahia Amazonas Pará Amapá Acre Rondônia Roraima Maranhão Piauí Ceará Sergipe Alagoas Pernambuco Paraíba Rio Grande do Norte
 
 
00:00