Contra os cortes na educação de Dilma e a redução da maioridade penal, dia 11 de agosto vamos às ruas!

Por Letícia Alcântara, Comissão Executiva Estadual - São Paulo

O segundo semestre está cheio de luta no Brasil, os técnico-administrativos das universidades federais seguem na greve que se iniciou em maio e já realizaram até mesmo uma ocupação no Ministério do Planejamento. Da mesma forma, os professores da universidades federais, através da constante luta dos companheiros do ANDES-SN, vem se enfrentando duramente com o governo e com o desmonte da universidade publica e gratuita. Além dos cortes de quase 10 bilhões da pasta da educação agora vemos o ajuste chegar duramente as pesquisas com os cortes nas verbas da CAPES, abrindo ainda mais espaço para a iniciativa privada e atacando o caráter publico da universidade e sua qualidade.

Já vivemos a greve dos petroleiros e agora a importante luta pela readmissão dos rodoviários em Porto Alegre. Todas essas lutas vêm colocando a juventude ao lado dos trabalhadores, pois não agüentamos mais os ajustes do governo Dilma e dos governos estaduais e municipais, enquanto cortam da saúde e educação os banqueiros seguem anunciando seus recordes de lucro em meio a crise, estamos na luta contra o ajuste fiscal de Dilma e Levy.

No entanto, não somos ameaçados apenas pelo ajuste, o Congresso Nacional nos últimos tempos, pela mando autoritário do deputado Eduardo Cunha (PMDB – RJ), atual presidente da Câmara, tenta empurrar a proposta de redução da maioridade penal, que representa hoje a institucionalização da violência policial e o genocídio da juventude negra das periferias.

Os jovens negros que hoje já morrem todos os dias nos morros e favelas, terão seu futuro encarcerado, numa verdadeira política de criminalização da pobreza e extermínio de um povo. Os governos querem resolver o problema social da violência urbana encarcerando os jovens, mas sabemos que essa não é a solução, dezenas de políticos são diariamente envolvidos em escândalos de corrupção e não vão para cadeia, no Brasil é prisão para os pobres e impunidade para os ricos.

Somos o país com a maior população carcerária do mundo e com um alto índice de reincidência, isso mostra que não precisamos de mais cadeias, mas de mais escolas, para resolver o problema da violência é preciso parar o ajuste fiscal, ampliar os direitos sociais e investir 10% do PIB em educação pública, já!

Para juventude negra os impactos desse caos social é ainda maior, as últimas pesquisas apontam um aumento significativo nas mortes violentas dos jovens. Em 2013, na faixa de 16 e 17 anos, a taxa de mortalidade ficou em 54,1 homicídios por 100 mil adolescentes, um aumento de 38.3% nos últimos dez anos, esses dados colocam o Brasil em terceiro lugar no ranking de mortes violentas dos jovens do mundo.

Enquanto isso, em 2014, a PM de São Paulo registrou o maior número de mortes por policiais, quase 1000 mortes, como se um policial matasse uma pessoa a cada oito horas e a maior concentração dessas mortes está na periferia da cidade, a zona leste concentra 46%, por exemplo.

É preciso parar com esse verdadeiro genocídio do povo negro, chega de suspeito padrão e mortes violentas, queremos a desmilitarização da polícia! A juventude negra tem direito ao futuro!

Como se a redução da maioridade penal já não fosse um grande ataque ainda temos que enfrentar uma proposta do ex governador de São Paulo, José Serra, que foi desarquivada com o apoio de deputados do PT e do PCdoB que propõe a alteração do ECA (estatuto da criança e do adolescente) e prevê o aumento do encarceramento de 3 para 10 anos, isso é, na prática, reduzir a maioridade penal.

Não podemos permitir que essa aliança entre José Serra e deputados do PT e PCdoB tente aprovar essa proposta como se ela fosse melhor do que a redução da maioridade penal, o ECA é produto de muita luta dos movimentos sociais e ao invés de alterado ele precisa cumprido e ampliado!

Diante de todos esses ataques precisamos unificar nossas lutas para defender os direitos da juventude, nesse sentido é muito importante a unidade que temos construído com os companheiros da esquerda da UNE e outras organizações aqui em São Paulo, por isso o dia 11 de agosto, dia do estudante deve ser um dia de muita mobilização, por isso convidamos todos ao ato unificado as 8h no MASP!

Esse dia de luta foi convocado em primeiro lugar na plenária nacional do movimento estudantil em Brasília que ocorreu no ínicio de julho e lançou o manifesto(link do manifesto). Seguindo a orientação de organizar atos unificados pelos estados a ANEL-SP articulou essa manifestação na paulista em conjunto com os demais coletivos e entidades.

O dia de luta ganhou ainda mais força com sua incorporação no calendário de lutas do espaço de unidade de ação, no qual a ANEL participou e somou as forças do funcionalismo publico federal em greve, que também irá se incorporar na passeata, o movimento popular e também o sindicato de metroviários de São Paulo.

Depois de semanas de construção, muitas passagens em sala e conversas nas escolas e universidades amanhã a ANEL-SP sairá as ruas ao lado dos trabalhadores em luta em todo o país contra os cortes na educação e a redução da maioridade penal e convida todos a se somarem a essa luta.

Enquanto isso,é lamentável o papel que vem cumprindo a União Nacional dos Estudantes, a UNE. Sem abrir mão da defesa do governo e sem denunciar com coerência os ataques que o ajuste fiscal representa para a juventude a UNE demonstra mais uma vez sua falência enquanto entidade de representação dos estudantes. Pior ainda é se calar diante dessa articulação para costurar uma suposta alternativa á redução da maioridade penal que passa pelas mudanças no Estatuto da criança e do adolescente. Para ser consequente com a luta dos estudantes a UNE e, em especial a UEE-SP não devem abandonar as ruas e a luta direta que viemos realizando contra a redução da maioridade penal com os atos que reuniram milhares no inicio de julho na cidade e devem se somar a mobilização desse dia de luta em São Paulo, incorporando-se a manifestação de amanhã.  Destacamos, em especial, que ao sair as ruas amanhã ao lado dos jovens de todo o país também deve estar a serviço de denunciar os cortes na educação e exigir do governo Dilma o fim do ajuste fiscal que destrói o futuro da juventude do país.

Ao mesmo tempo, queremos convidar os companheiros da frente estadual contra a redução da maioridade penal a se somarem a essa manifestação e, em especial, os companheiros do levante popular da juventude que até o momento não se pronunciaram sobre essa manifestação em nossa cidade. Somente com um combate sem rodeios contra todos os governos que nos atacam, sejam eles do PT, do PSDB ou figuras como Eduardo Cunha, Renan Calheiros e toda sua corja será possível conquistar vitórias. A juventude que foi as lutas nas grandes manifestações de junho aprendeu que só a luta direta pode arrancar vitórias e só pode ser construído sem alimentar ilusões em nenhum governo.

Chega de PT, PSDB e PMDB!

Contra os cortes de Dilma na educação!

Não à Redução da Maioridade Penal

Não à Reforma do ECA.

Não ao genocídio do povo negro!

Entrar, permanecer, enegrecer: cotas raciais já!

Todos ao ato, 11 de agosto, 8h no Masp

 

 

Brasil afora

SP   Em breve notícias de SP...

RJ   Em breve notícias de RJ...

BA   Em breve notícias de BA...

MG   Em breve notícias de MG...

PA   Em breve notícias de PA...

RN   Em breve notícias de RN...

RS   Em breve notícias de RS...

SC   Em breve notícias de SC...

CE   Em breve notícias de CE...

PR   Em breve notícias de PR...

MS   Em breve notícias de MS...

SE   Em breve notícias de SE...

PI   Em breve notícias de PI...

PE   Em breve notícias de PE...

GO   Em breve notícias de GO...

DF   Em breve notícias de DF...

AL   Em breve notícias de AL...

AC   Em breve notícias de AC...

AM   Em breve notícias de AM...

ES   Em breve notícias de ES...

AP   Em breve notícias de AP...

TO   Em breve notícias de TO...

RR   Em breve notícias de RR...

PB   Em breve notícias de PB...

MT   Em breve notícias de MT...

RO   Em breve notícias de RO...

MA   Em breve notícias de MA...

Distrito Federal Minas Gerais Rio Grande do Sul Santa Catarina Paraná São Paulo Rio de Janeiro Espírito Santo Mato Grosso do Sul Mato Grosso Goiás Tocantins Bahia Amazonas Pará Amapá Acre Rondônia Roraima Maranhão Piauí Ceará Sergipe Alagoas Pernambuco Paraíba Rio Grande do Norte
 
 
00:00